Difícil tarefa de listar os jogos mais difíceis


Comecei, inspirado por tantas listas em tantos sites de games, a listar os jogos mais difíceis de todos os tempos. Tenho alguns amigos hardcore gamers que acham que os jogos atuais são fáceis demais, que não há mais desafio. Todo game designer se preocupa muito com o nível de desafio de seu jogo: fácil demais é ignorado por ser entediante, difícil demais causará frustração e no final tédio também. E espera-se que o game designer profissional antes de estar preocupado com isso esteja preocupado em aumentar sua audiência, agradar ao público casual e no fim das contas fazer sucesso, faturar e pagar suas contas.

Fui então pesquisar listas, perguntar para amigos e ler por aí em busca de critérios pra gerar a tal lista. E me deparei com uma questão de imediato: seriam quaisquer jogos difíceis ou somente jogos bons difíceis?

Pois em todas as listas que encontrei, quase sempre com apelo aos saudosistas, estavam lá jogos que eram realmente difíceis mas igualmente frustrantes. Sua dificuldade muitas vezes fruto de má jogabilidade. Isto tem que ser entendido: nos primórdios dos videogames tínhamos acesso a pouquíssimos títulos. Se você só tinha um jogo, não importa se era difícil, frustrante, ou mesmo que alguma fase fosse totalmente desequilibrada. Íamos jogar, e jogar e jogar até zerar o tal jogo! E vencer esse desafio dava um prazer que na memória, esta marota fonte de informações imprecisas, pode substituir o desprazer de começar de novo mil vezes estes terríveis jogos com 3 vidas e sem “continue“.

Então é simples, para ter a lista dos 10 (ou quantos você preferir)  jogos mais difíceis basta pegar qualquer lista aleatória de jogos do NES. Você terá jogos duríssimos de terminar e que nem 5% da população mundial de gamers jamais jogou e sequer conhece. Já posso ouvir os comentários: “Lista cool hein?“, “Nossa, esse cara saca muito de games!“, “Estou surpreso por você não ter colocado nesta lista o BattleToads, o mais difícil de todos!

Qual o ponto em fazer uma lista destas? Relembrar bons momentos? Documentar a experiência da minha geração de jogadores? Debater o nível atual de dificuldade ajustado ao jogador casual? Exibir seu conhecimento da história dos videogames? É. É tudo isso. E ainda o meu gosto pessoal. Então, eis aí a minha arbitrária lista de 7  jogos difíceis, desafiadores, relevantes e que eu lembro que existiram!

1 – Zelda. Em geral as listas acham o Zelda II: The Adventures of Link o mais difícil. Mas o que importa aqui é que este jogo se diferenciou pela história, pelo carisma ou pela arte e música, foi e continua sendo importante,  influenciou uma geração e está em lugar de destaque na história dos videogames. Mesmo começando como jogo difícil. E representa o gênero, então não me perguntem por que Fantasy Star ou Chrono Trigger não estão na lista.

Zelda II

2-  Ikaruga. Menos conhecido dos meus eleitos, este nunca foi escolhido por ninguém como melhor 2D Space Shooter. Mas sempre esteve entre os primeiros. E sua jogabilidade com combos seqüenciais e mudança de polaridade permite que se jogue seguidas vezes com estratégias diferentes. E não sei por você mas eu acho difícil, muito difícil.

Ikaruga

3- Ghouls ‘N Ghosts – Este é clássico em todos os sentidos e unanimidade quanto à dificuldade.  Super Ghouls ‘N Ghosts é igualmente difícil e fica claro que este é o objetivo dos criadores. Reparou que estes jogos da lista se sustentam e você pode voltar a jogá-los hoje e ainda ser ma experiência interessante? Pitfall também é difícil e não dá pra encarar hoje em dia. Concorda?

4- Ninja Gaiden – nem precisa explicar. Nunca foi um dos meus jogos favoritos mas é sem sombra de dúvidas um jogo muito popular mesmo sendo difícil. Popular antes mesmo da sensual Rachel, e todos os fetiches que isso representa, ser um chamariz para a franquia. Antes dos direcionais analógicos se tornarem inúteis e servirem para chacoalhar os peitos das personagens femininas. Sim, isso acontece. O Black no PS2 se manteve difícil, contrariando quem diz que desde o NES os jogos não são mais desafiadores. Fiquei entre NG e Shinobi. A lista é subjetiva mesmo então que venha a polêmica. 🙂

5-  Megaman – Outro que deve ser unanimidade. E me parece simples: o jogo é um sucesso sem fazer as concessões para o público casual e mantém o nível de desafio não como um desequilibrio no design mas como uma proposta versão após versão, ano após ano. É disto que estou falando.

6- Eden. Ah, um jogo recente (relativamente) na lista. É difícil explicar como é o jogo da Pixeljunk e mais difícil ainda você entender pela imagem abaixo. E sim, a imagem abaixo é uma tela do gameplay. O mais difícil de tudo é zerar o joguinho viciante, com trilha bacana, coisas crescendo em todo lugar e gravidade mudando de direção quando você menos espera. E sim, este é limítrofe entre jogo casual e hardcore. Pela dificuldade se credenciou para a lista.

7- Eye of the Beholder – As armadilhas e salas em que você tem que andar ao contrário num jogo com aquele tipo de animação uhnn… simplificada!… pode tornar sua tentativa de chegar ao fim da história um inferno. Essa época exigia um bloco de papel quadriculado pra mapear o dungeon e não se perder. Sério. Mais uma vez, EotB representa um gênero e por isso não teremos Baldur’s Gate e outros congêneres na lista.

Que injustiças terei cometido? Me diga aí você.

Anúncios

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s